Menu
Busca terça, 19 de outubro de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Agrinho 11-10 10-09
PECUÁRIA

Produção de ovos é recorde com alta em todos os setores da pecuária no 2º tri

Foram 942,45 milhões de dúzias de ovos de galinha

12 setembro 2019 - 15h18Por IBGE*

No segundo trimestre de 2019, a produção de ovos cresceu 7,2% em relação ao mesmo período do ano passado, e bateu o recorde da série histórica, iniciada em 1987. Foram 942,45 milhões de dúzias de ovos de galinha, segundo os resultados completos da Estatística da Produção Pecuária, divulgados hoje pelo IBGE.

continua depois da publicidade
Campanha Agrinho 11-10 10-09

A produção de ovos teve 62,91 milhões de dúzias a mais que no mesmo trimestre de 2018, e foi impulsionada por aumentos em 22 estados. São Paulo segue na liderança, com 28,9% do total nacional.

Além disso, todas as atividades da pecuária tiveram variações positivas no segundo trimestre de 2019, quando comparadas ao mesmo período de 2018. Concorreram para isso não só os preços favoráveis no mercado externo como também a influência da paralisação dos caminhoneiros, em maio do ano passado, sobre a base de comparação.

As taxas foram positivas para o abate de bovinos (3,5%), de suínos (5,2%) e de frangos (3,4%), assim como para a aquisição de leite (6,9%) e a de couro (1%).

O mercado das carnes está aquecido pelo aumento da demanda externa, sobretudo na China. “A peste suína africana, que ocorreu na China, aumentou a demanda por carnes brasileiras de todos os tipos”, explica a gerente de Pecuária do IBGE, Angela Lordão.

Ela também destaca o crescimento do abate de novilhas. “É um novo nicho no mercado das carnes premium, que começou a se destacar a partir de 2018”.

Com isso, no segundo trimestre de 2019, foram abatidas 8,04 milhões de bovinos, cerca de 268,55 mil cabeças a mais que no mesmo período de 2018. Também foram abatidas 11,39 milhões de suínos, o melhor segundo trimestre desde 1997. Já o abate de frangos chegou a 1,42 bilhão de cabeças, com alta de 3,4% em relação ao mesmo período de 2018.

Quando comparadas ao trimestre imediatamente anterior, as taxas foram positivas para o abate de bovinos (1,4%) e de suínos (0,9%), além da produção de ovos (1,9%). Já o abate de frangos (-0,9%) e as aquisições de leite (-5,8%) e couro (-0,9%) recuaram nessa comparação.

*Fonte: Agência IBGE

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAFRA DE MILHO
Com 109 sacas, por hectare, Alcinópolis tem a maior produtividade média de MS, na safrinha
ANÁLISE CEPEA
Com novo reajuste, preço do ovo branco se aproxima do recorde nominal
SAFRA DE SOJA 21/22
Incertezas com relação ao comportamento do clima esfriam expectativas de super safra em MS
MERCADO DA SOJA
Saca da soja acumula valorização de 13% em 12 meses, em MS
MANEJO APÍCOLA
A exemplo das abelhas, gestão e logística são essenciais na multiplicação dos enxames
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Cientistas combinam imagens multiespectrais com raios X para analisar sementes
GESTÃO DE RISCOS
Guia virtual orienta produtores sobre o funcionamento do seguro rural
MERCADO FINANCEIRO
Bolsa cai pelo segundo dia e perde 2,48% em agosto
CRÉDITO FUNDIÁRIO
Prazo para análise de financiamento de imóvel para agricultores familiares diminui para seis meses
ANÁLISE CEPEA
Dados oficiais do IBGE confirmam baixa oferta de animais para abate