Menu
Busca terça, 19 de outubro de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Agrinho 11-10 10-09
ANÁLISE CEPEA

Em janeiro, preço real do leite é o maior da série para o mês

A alta é decorrente da competição entre laticínios

31 janeiro 2020 - 07h03Por Esalq/Cepea-Usp*

O preço do leite pago ao produtor em janeiro (referente ao volume captado em dez/19) foi de R$ 1,36835/litro na “Média Brasil” líquida, alta de 1,1% frente ao mês anterior e 2,2% acima do observado em jan/19. Este é o maior preço real da série histórica do Cepea para um mês de janeiro. A alta é decorrente da competição entre laticínios para garantir a compra de matéria-prima no campo num contexto de oferta limitada – o que é atípico para o período, geralmente caracterizado pelo aumento da produção puxada pelo Sudeste e Centro-Oeste e estabilidade na captação do Sul do País.

continua depois da publicidade
Campanha Agrinho 11-10 10-09

A pesquisa do Cepea demonstrou que o Índice de Captação Leiteira (ICAP-L) recuou 1,2% de novembro para dezembro na “Média Brasil”. O resultado está atrelado à queda de 7,3% no RS, 1,4% em MG e 0,5% em GO.

A lenta recuperação da produção na primavera, em decorrência do atraso das chuvas, limitou o crescimento da oferta no Sudeste e no Centro-Oeste, sustentando os preços em patamares altos. No Sul do País, o recuo da produção foi maior do que o esperado, devido aos menores volumes de precipitações. No Rio Grande do Sul, especificamente, as altas temperaturas e a estiagem impactaram negativamente a atividade leiteira, por conta do aumento do estresse calórico enfrentado pelos animais e da diminuição de alimentos para o rebanho – devido à menor disponibilidade de pastagem e também aos prejuízos no plantio de milho para silagem.

Combinado a isso, deve-se destacar que o aumento dos custos de produção (em especial do preço do concentrado) e o abate de vacas leiteiras, estimulado pelos elevados preços no mercado de gado de corte, também prejudicaram a produção de leite no último trimestre de 2019. A oferta restrita, portanto, levou a curva de preços a fugir do padrão sazonal.

A dificuldade de recuperação da captação leiteira no Sudeste e no Centro-Oeste em plena safra e o encarecimento dos custos de produção preocupam agentes do setor. Os estoques de derivados seguem enxutos, o que estimulou a alta de 5% no preço do leite spot em MG em janeiro. A média parcial de janeiro (até o dia 28) da muçarela negociada no atacado paulista subiu 2,5%, enquanto a do UHT caiu 1,5%, devido à pressão dos canais de distribuição. Assim, a expectativa é de que os preços do leite no campo se mantenham firmes no 1º trimestre de 2020.

* Conteúdo Cepea/Esalq-Usp

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAFRA DE MILHO
Com 109 sacas, por hectare, Alcinópolis tem a maior produtividade média de MS, na safrinha
ANÁLISE CEPEA
Com novo reajuste, preço do ovo branco se aproxima do recorde nominal
SAFRA DE SOJA 21/22
Incertezas com relação ao comportamento do clima esfriam expectativas de super safra em MS
MERCADO DA SOJA
Saca da soja acumula valorização de 13% em 12 meses, em MS
MANEJO APÍCOLA
A exemplo das abelhas, gestão e logística são essenciais na multiplicação dos enxames
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Cientistas combinam imagens multiespectrais com raios X para analisar sementes
GESTÃO DE RISCOS
Guia virtual orienta produtores sobre o funcionamento do seguro rural
MERCADO FINANCEIRO
Bolsa cai pelo segundo dia e perde 2,48% em agosto
CRÉDITO FUNDIÁRIO
Prazo para análise de financiamento de imóvel para agricultores familiares diminui para seis meses
ANÁLISE CEPEA
Dados oficiais do IBGE confirmam baixa oferta de animais para abate