Menu
Busca quarta, 20 de outubro de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Agrinho 11-10 10-09
MERCADO INTERNACIONAL

Audiência conjunta de comissões da Câmara debate reestruturação do Mercosul

A proposta de discussão foi apresentada pelo presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Alceu Moreira

11 julho 2019 - 11h00Por FPA*

A Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados realizou, nesta quarta-feira (10), audiência pública conjunta com a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) para iniciar um amplo debate sobre a reestruturação do tratado do Mercosul, e buscar uma solução para o desequilíbrio enfrentado pela agropecuária brasileira no mercado agrícola do bloco. A proposta de discussão foi apresentada pelo presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Alceu Moreira (MDB-RS), e pelo presidente da CFT e vice da FPA, deputado Sérgio Souza (MDB-PR).

continua depois da publicidade
Campanha Agrinho 11-10 10-09

O presidente da FPA iniciou seu discurso dizendo que o acordo do Mercosul precisa ser revisto, e que os países envolvidos no tratado devem fazer os ajustes conforme suas peculiaridades. “Quando se faz um acordo internacional com dois blocos, haverá tanto vantagens como desvantagens para ambos. É preciso acertar o bloco, para agir como bloco. Vamos ajustar o tratado do Mercosul, e também olhar para o nosso país, para proteger nossos produtores”, afirmou.

Moreira avaliou que o acordo feito entre a União Europeia e o Mercosul foi um importante passo, e que pode favorecer o comércio agropecuário do Brasil com o resto do mundo. Mas que essa discussão será feita na próxima audiência, no dia 16 de julho, com a presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Ele demonstrou preocupação com o setor leiteiro do Brasil, que precisa de mais apoio, e pode ser prejudicado com o acordo de livre comércio. O presidente da FPA citou o exemplo do nosso país vizinho, a Argentina, que produz cerca de 13 bilhões de litros de leite por ano, com 12.800 produtores, enquanto o Brasil produz 39 bilhões, porém com 1.250.000 milhão de produtores. “É preciso fazer uma política específica para tornar o setor competitivo”, afirmou.

Alceu Moreira fez duras críticas ao arroz vindo dos países vizinhos, principalmente do Paraguai. “Uma solução complexa é a do arroz, é preciso ter muita pesquisa, é preciso ter rotação de cultura, onde é possível produzir soja, ou seja, é preciso salvar o produtor de arroz, trazer o produtor de arroz para o meio produtivo e com dignidade”, finalizou.

*Fonte: FPA

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAFRA DE MILHO
Com 109 sacas, por hectare, Alcinópolis tem a maior produtividade média de MS, na safrinha
ANÁLISE CEPEA
Com novo reajuste, preço do ovo branco se aproxima do recorde nominal
SAFRA DE SOJA 21/22
Incertezas com relação ao comportamento do clima esfriam expectativas de super safra em MS
MERCADO DA SOJA
Saca da soja acumula valorização de 13% em 12 meses, em MS
MANEJO APÍCOLA
A exemplo das abelhas, gestão e logística são essenciais na multiplicação dos enxames
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Cientistas combinam imagens multiespectrais com raios X para analisar sementes
GESTÃO DE RISCOS
Guia virtual orienta produtores sobre o funcionamento do seguro rural
MERCADO FINANCEIRO
Bolsa cai pelo segundo dia e perde 2,48% em agosto
CRÉDITO FUNDIÁRIO
Prazo para análise de financiamento de imóvel para agricultores familiares diminui para seis meses
ANÁLISE CEPEA
Dados oficiais do IBGE confirmam baixa oferta de animais para abate