Menu
Busca sexta, 20 de maio de 2022
(67) 99874-0557
SINDICATO RURAL EVENTO JUNHO
ECONOMIA

MS se mantém na liderança da exportação de tilápia no primeiro semestre de 2021

Estado detém 37% das vendas internacionais do pescado

26 julho 2021 - 14h37Por Semagro*

Mato Grosso do Sul se manteve na liderança nacional do ranking dos estados exportadores de tilápia no primeiro semestre de 2021, conforme dados do Informativo da Piscicultura edição de julho. Os produtores locais faturaram US$ 2.214.422 com a venda do peixe ao exterior no semestre, o que representa 37% do total das exportações. O Paraná vem em segundo com US$ 1.966.787, fatia de 32% do mercado.

continua depois da publicidade
Campanha Pantanal Agrícola 01 300x250

Apesar de uma redução no volume de exportações do produto no segundo trimestre, a soma do total apurado nos dois períodos garantiu a liderança do ranking ao Estado. No primeiro trimestre os produtores de Mato Grosso do Sul exportaram US$ 1.220.491 e no segundo, US$ 993.931, redução de 19%. Já o Paraná, o maior produtor do peixe no país, vendeu ao exterior US$ 747.026 no primeiro trimestre e US$ 1.219.761 no segundo, o que representou um aumento de 63% em relação ao período anterior.

Estados Unidos (45%), China e Chile (13%) e Colômbia (12%) são os principais destinos das exportações brasileiras de peixes. As exportações aumentaram 83% no 2º trimestre, comparando-se com o mesmo período de 2020, atingindo US$ 3,9 milhões. Os maiores volumes foram exportados em junho (US$ 1,8 milhão) e a principal categoria exportada no 2º trimestre, com US$ 1,1 milhão, foi a de peixes inteiros congelados, sendo que a tilápia foi a principal espécie exportada no período, somando US$ 3,4 milhões.

Produção

Em junho, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento autorizou a instalação de mais 120 hectares de tanques-rede no lago da usina de Porto Primavera, em Brasilândia, podendo chegar a 500 hectares, para criação de tilápia. A solenidade contou com a presença da ministra Tereza Cristina e do secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

Verruck destacou que esta evolução no setor tem relação direta com o programa estadual “Propeixe”, que tem o objetivo de aumentar a produção e exportação do produto no Estado. O programa ainda prevê o apoio à viabilidade de crédito e recursos financeiros ao setor e premiação para aos produtores.

A produção de tilápias em larga escala é uma atividade recente em Mato Grosso do Sul. Dois projetos se destacam: da Tilabras e da Geneseas, ambos estabelecidos na Costa Leste do Estado. Com o aporte dessa área para criação em tanques-rede, a produção de tilápias deve saltar de 19 milhões para 60 milhões de toneladas/ano em um curto período de tempo, devendo ocupar o topo do ranking nacional.

Em 2022, o Estado deverá ter a primeira indústria frigorífica de pescados que irá produzir tilápia enlatada no Brasil. O empreendimento da Frescomares será construído em uma área de 73 hectares no município de Itaporã, com investimento total de R$ 20 milhões e previsão de geração de 120 empregos por turno, sendo que, no auge da produção, a indústria deverá funcionar em 3 turnos.

- Por João Prestes

* Conteúdo: Semagro

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANÁLISE IMEA
Óleo de soja valoriza com demanda externa
ANÁLISE CEPEA
Cotações do milho disparam no porto de Paranaguá-PR
GRÃOS
Colheita da soja está praticamente finalizada em Querência - MT
REFLEXOS DA GUERRA
Importações de fertilizantes de Belarus ao Brasil foram suspensas
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
No Irã, ministra mostra potencial de exportação de produtos brasileiros
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
Tereza Cristina viaja ao Irã para ampliar as relações comerciais com o agro brasileiro
COMUNICAÇÃO
Pantanal Agrícola fecha parceria com Agência Rural para geração de conteúdo exclusivo
NOVA LOJA
Município mais rico do agronegócio de Mato Grosso do Sul agora tem concessionária de gigante alemã
SEGURO RURAL
Custos e perdas pressionam preço da soja em MS
SAFRA DE SOJA 21/22
Mato Grosso do Sul tem apenas 36% das lavouras de soja em boas condições