Menu
Busca quinta, 30 de junho de 2022
(67) 99874-0557
HORTALIÇAS E FRUTAS

Boletim Prohort mostra queda de preços da cebola e anima consumidores

Tomate continua sendo favorito na listas de compras por causa da queda nos preços

17 outubro 2019 - 13h12Por Conab*

Indispensável na culinária brasileira, a cebola consolidou o movimento de preços baixos no mercado atacadista. A notícia dá um alívio para os apreciadores da hortaliça, que amargavam altas consecutivas desde novembro do ano passado. A pesquisa foi feita nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país e divulgada nesta quinta-feira (17), no Boletim Prohort da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

continua depois da publicidade
Campanha Pantanal Agrícola 01 300x250

Apesar de estarem mais baixos, os valores ainda estão longe das cotações do produto no mesmo período em 2017 e 2018. A comparação mostra que hoje a cebola está com mais de 100% de alta em relação aos anos anteriores.

O estudo do Prohort traz como referência os números do mercado atacadista no mês de setembro e analisa ainda outros produtos, como alface, batata, cenoura e o tomate. Este último, continua sendo o favorito nas listas de compras, devido às contínuas baixas de preço. O motivo ainda é a temperatura elevada, que apressa o amadurecimento do fruto e forçam os agricultores a colocarem rapidamente sua produção no mercado. Assim conseguem reduzir a perda nas lavouras, no entanto aumentam a oferta e o que pode diminuir sua margem de lucro.

De acordo com a pesquisa, a batata segue também com tendência de queda nos mercados analisados. O recuo nas cotações girou em torno de 20%, com exceção do Ceará, cujo percentual foi de apenas 7,13%. Na mesma linha, a cenoura barateou pelo terceiro mês consecutivo, com variação de 8,16% em Fortaleza e 33,73% em Brasília. Nessas hortaliças, a boa oferta explica-se pelo clima favorável e boa produtividade.

Frutas

Além de hortaliças, o Boletim traz também a análise de frutas. Nesta edição, o destaque foi o mamão, com queda no preço em todos os entrepostos atacadistas. A redução foi mais intensa para a variedade papaya do que para a formosa. Já com relação às exportações, o volume acumulado até setembro deste ano foi 12,18% maior do que o mesmo período em 2018. Os destaques neste comércio foram a manga, melão, limão, banana e melancia. Tiveram queda nas exportações a maçã e laranja.

Os dados do Prohort são coletados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Goiás, Ceará, Pernambuco e no Distrito Federal.

*Conab

Deixe seu Comentário

Leia Também

TECNOLOGIA E INFORMAÇÃO
Sindicato Rural de Campo Grande reúne palestrantes nacionais de 8 e 11 de junho
AGRICULTURA
Aprosoja/MS identifica avanço na qualidade dos fertilizantes utilizados na soja
Do Pantanal para o mundo
Bolsas de luxo, sustentabilidade e empoderamento no Pantanal
SUINOCULTURA
Suinocultores de MS avançam índices de sustentabilidade e são reconhecidos por isso
PROSOLO
Entidades e produtores se unem para recuperar áreas degradadas na região do Taquari
ANÁLISE IMEA
Óleo de soja valoriza com demanda externa
ANÁLISE CEPEA
Cotações do milho disparam no porto de Paranaguá-PR
GRÃOS
Colheita da soja está praticamente finalizada em Querência - MT
REFLEXOS DA GUERRA
Importações de fertilizantes de Belarus ao Brasil foram suspensas
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
No Irã, ministra mostra potencial de exportação de produtos brasileiros