Menu
Busca sábado, 06 de março de 2021
(67) 99874-0557
Programa de fidelização banner
SOJA

Colheita de soja chega ao fim em MS com queda de 11,4% na produção

Nesta safra 2018/2019, produção estimada do grão é de 8,605 milhões de toneladas, contra 9,584 milhões de toneladas do ciclo anterior, aponta Siga.

03 abril 2019 - 14h25Por Agência Rural

A colheita de soja da safra 2018/2019 chegou ao fim em Mato Grosso do Sul. Dados do Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga MS) apontam que, no dia 29 de março, a área colhida do grão alcançou 100% em todas as regiões do estado. Neste ciclo, a produção estimada é de 8,605 milhões de toneladas em área plantada de 2,840 milhões de hectares. A produtividade média deve manter-se em 50,5 sacas por hectare.

continua depois da publicidade
Campanha Estampi Art 01 Square Banner

Segundo o Siga MS, houve queda de 11,44% no volume de produção da oleaginosa em comparação com a safra 2017/2018, que totalizou 9,584 milhões de toneladas.

Inicialmente, a expectativa era de crescimento neste ciclo produtivo, com volume estimado em pouco mais de 10 milhões de toneladas. Tanto é que a área plantada cresceu 5,18% de uma safra para outra, saltando de 2,7 milhões para 2,840 milhões de hectares. Porém, a ocorrência de estiagens afetou a produtividade das lavouras.

“Em mais um ano, a questão climática influenciou o cultivo da soja. A estiagem vai impactar nos números finais da safra de soja, em contrapartida notamos um avanço na área plantada com o grão, de forma eficiente. São números que estão em levantamento e vão apontar algumas mudanças no cenário, mas reafirmando, a necessidade do uso de tecnologia e manejo adequados. ‘Manejo Integrado de Pragas’ precisa ser palavra de ordem”, afirmou o presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), Juliano Schmaedecke.

Neste ciclo, a produtividade média de soja está estimada em 50,5 sacas por hectare, número menor que os registrados nos dois períodos anteriores (59,17 e 56,1 sacas por hectare, respectivamente) e igual ao da safra 2015/2016.

O diretor-executivo da Aprosoja/MS, Frederico Azevedo, destacou que é necessário entender o que aconteceu neste ciclo para orientar o produtor para o próximo. “Tem que cruzar dados de praga e produtividade com o que a Fundação MS e Fundação Chapadão têm mapeado nas pesquisas, para casar as duas áreas e auxiliar melhor o produtor nas próximas safras”.

De acordo com estimativas do Siga MS, a colheita do grão terminou um pouco mais cedo neste ano. Em 2018, a porcentagem de área colhida era de 96,3% em 29 de março e só chegou à totalidade na primeira semana de abril.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM DO SUÍNO
Cotações do suíno vivo caem em janeiro, enquanto valores dos principais insumos da atividade sobe
INTERNACIONAL
Chamada pública conjunta entre Brasil e Alemanha recebe propostas de projetos de bioeconomia
ANÁLISE CEPEA
Exportações de carne suína recuam em janeiro de 2021
MERCADO DO BEZERRO
Indicador do bezerro, em Mato Grosso do Sul, valoriza 60,6% em 12 meses
COLHEITA DA SOJA
Com atraso, agricultores de MS começam a colheita
EVOLUÇÃO
MS registra o 2º maior crescimento de produção de grãos do País, aponta a Conab
MERCADO DO BOI
Importação de gado vivo do Paraguai preocupa criadores de MS
ECONOMIA
Petrobras aumenta preço da gasolina em cerca de 8% nas refinarias
ECONOMIA
Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 3,60%
OPORTUNIDADE!
Agência Rural lança programa de fidelização de anunciantes