Menu
Busca sábado, 27 de fevereiro de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Estapi Art 01 super banner
MILHO 2º SAFRA

MS termina colheita com recorde de 12,1 milhões de toneladas

O volume é recorde para o Estado e 55% maior que as 7,84 milhões de toneladas colhidas na safa 2017/2018

23 setembro 2019 - 15h16Por Agro Agência*

Mato Grosso do Sul colheu 12,16 milhões de toneladas de milho 2ª safra 2018/2019. O volume é recorde para o Estado e 55% maior que as 7,84 milhões de toneladas colhidas na safa 2017/2018, segundo dados da Aprosoja/MS (Associação de Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul) e do Sistema Famasul através do Projeto SIGA/MS.

continua depois da publicidade
Programa de fidelização banner 02

A área semeada com o milho cresceu 19,8% alcançando 2,173 milhões de hectares, enquanto a produtividade cresceu 33% com 93,24 sc/ha, em comparação com a safra passada. Mato Grosso do Sul alcançou o posto de terceiro maior produtor de milho 2ª safra, ficando atrás do Mato Grosso (31.045 milhões de toneladas) e Paraná (13.497 milhões de toneladas).

Presidente da Aprosoja/MS, André Dobashi explica que o bom desempenho das lavouras resulta da combinação de fatores, como a semeadura dentro da janela adequada e condições climáticas ideais para o desenvolvimento da lavoura. “Quando o produtor utiliza tecnologia adequada e se adapta ao cenário de clima, os resultados sempre são muito positivos, evitando perdas significativas”.

As questões climáticas, como as geadas no início de julho, não afetaram de forma significativa as lavouras, garantindo os bons números de produtividade de forma geral, sendo que se observou nesta safra uma boa qualidade dos grãos, ajudando na comercialização da produção sul-mato-grossense.

“Esse resultado é importante quando estamos procurando aumentar a industrialização, focando na expansão da suinocultura, da avicultura, na implantação de fábricas de DDG (Dried Distillers Grains, ou seja, grãos secos de destilaria). Mato Grosso do Sul se referencia como grande produtor de milho e passa a atrair investimentos para agregar valor a esse produto”, analisou o titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck.

*Fonte: Agro Agência

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM DO SUÍNO
Cotações do suíno vivo caem em janeiro, enquanto valores dos principais insumos da atividade sobe
INTERNACIONAL
Chamada pública conjunta entre Brasil e Alemanha recebe propostas de projetos de bioeconomia
ANÁLISE CEPEA
Exportações de carne suína recuam em janeiro de 2021
MERCADO DO BEZERRO
Indicador do bezerro, em Mato Grosso do Sul, valoriza 60,6% em 12 meses
COLHEITA DA SOJA
Com atraso, agricultores de MS começam a colheita
EVOLUÇÃO
MS registra o 2º maior crescimento de produção de grãos do País, aponta a Conab
MERCADO DO BOI
Importação de gado vivo do Paraguai preocupa criadores de MS
ECONOMIA
Petrobras aumenta preço da gasolina em cerca de 8% nas refinarias
ECONOMIA
Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 3,60%
OPORTUNIDADE!
Agência Rural lança programa de fidelização de anunciantes