Menu
Busca domingo, 13 de junho de 2021
(67) 99874-0557
Programa de fidelização banner 03
ANÁLISE CEPEA

Demanda eleva Indicador, mas preços recuam no Centro-Oeste

Quanto às exportações do cereal, seguem intensas

16 setembro 2019 - 13h13Por Esalq/Cepea-Usp*

Os valores do milho estão em alta no mercado paulista, influenciados pela demanda mais aquecida. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas – SP) subiu 2% entre 6 e 13 de setembro, fechando a R$ 37,58/saca de 60 kg nessa sexta-feira, 13.

continua depois da publicidade
A DE ABELHA - ALFABETIZAÇÃO 02
continua depois da publicidade
A DE ABELHA - ALFABETIZAÇÃO

Por outro lado, segundo pesquisadores do Cepea, na maior parte do Centro-Oeste, as cotações têm caído, pressionadas pela maior oferta. Quanto às exportações do cereal, seguem intensas, somando 2,04 milhões de toneladas nos primeiros cinco dias úteis de setembro, segundo dados da Secex.

A média diária de embarques está em 409,4 mil toneladas – caso esse ritmo permaneça até o encerramento de setembro, o volume total de exportação pode atingir 8,5 milhões de toneladas, um novo recorde para o mês.

*Conteúdo: Cepea/Esalq-Usp
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANÁLISE CEPEA
Com baixa oferta de animais em peso de abate, preço do suíno vivo sobe
SUA LAVOURA MERECE!
Com 517 cv, Fendt 1000 Vario esbanja tecnologia e é considerado o maior trator monobloco do mundo
BIOTECNOLOGIA
Região Sul-Fronteira de MS é a que mais se dedica ao manejo biológico da soja
70 ANOS!
Eduardo Riedel confirma apresentação nos 70 anos do SRCG
ANÁLISE CEPEA
Alta externa eleva movimentação de soja nos portos brasileiros
MADEIRA
Com grande reserva de madeira, MS tem potencial de exportação para gigantes da celulose
RECURSOS HÍDRICOS
MS mantém destaque nacional no cumprimento de metas da ANA na gestão de recursos hídricos
ENERGIA
Semagro entrega licença de operação para usina inédita movida a biomassa de eucaliptos
TECNOLOGIA
Sem tratamento antifúngico adequado, pecuarista pode perder até um terço da silagem
ECONOMIA
Valor da Produção Agropecuária de 2021 deve ser 12,4% maior que o do ano passado