Menu
Busca sábado, 06 de março de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Estapi Art 01 super banner
SUPER SAFRA

Colheita do milho safrinha chega aos 92% em Mato Grosso do Sul e confirma números históricos

Produção estadual é estimada em 11,4 milhões de toneladas. Aumento de 16% na área de cultivo foi determinante para resultado

20 agosto 2019 - 11h31Por Agência Rural

Um avanço que nem mesmo os agricultores esperavam. A produção do milho de inverno, nesta safra, superou em muito a estimativa inicial de 9,5 milhões de toneladas. Porém, com o avanço da colheita e o fechamento das planilhas, técnicos que fazem o levantamento para o Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio, da Famasul e Aprosoja, logo perceberam que os números iriam decolar. 

continua depois da publicidade
Programa de fidelização banner 02

A nova estimativa do Siga trás uma produção de 11,4 milhões de toneladas. Esse volume coloca Mato Grosso do Sul em 3° lugar na produção nacional, atrás apenas do Paraná (13,6 milhões) e Mato Grosso (31,1 milhões), segundo a Conab. O crescimento da produção se deu em virtude do aumento de área. " Tivemos um aumento de área superior a 16%, chegando a 2,1 milhões de hectares plantados. É uma excelente produção, apesar de a produtividade não ter sido das melhores", comenta Juliano Schmaedeck, presidente da Aprosoja-MS.

Nesta semana a colheita do cereal chegou aos 92% da área, com o tempo firme ajudando o trabalho das máquinas. Em poucos dias o serviço de campo ja estará concluído. "Foi um ano diferente, começamos a plantar mais cedo, devido a uma seca em dezembro e janeiro - e esses milhos não foram tão bons. Logo em seguida, as lavouras semeadas em fevereiro se desenvolveram muito bem, mas, as áreas plantadas a partir de março sofreram com falta de chuva e geadas", lembra Schmaedeck.


Mesmo a super produção as cotações do milho se mantiveram elevadas durante todo o período de colheita na comparação com o mesmo período do ano passado. A saca de 60kg é negociada a R$ 28,00, cerca de R$ 10,00 mais valorizada do que um ano atrás. Para o presidente da Aprosoja-MS, o produtor precisa ficar atento aos sinais do mercado, uma vez que não se sabe por quanto tempo os valores devem permanecer com boa remuneração. "O agricultor deve analisar o seu fluxo de caixa e aproveitar os bons momentos para cravar sua venda", finaliza.

Segundo corretores de grãos ouvidos pela Agência Rural, o aquecimento do mercado interno, que demandou mais milho para a fabricação de ração animal e o aumento das exportações são fatores que contribuíram para a manutenção das cotações em alta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM DO SUÍNO
Cotações do suíno vivo caem em janeiro, enquanto valores dos principais insumos da atividade sobe
INTERNACIONAL
Chamada pública conjunta entre Brasil e Alemanha recebe propostas de projetos de bioeconomia
ANÁLISE CEPEA
Exportações de carne suína recuam em janeiro de 2021
MERCADO DO BEZERRO
Indicador do bezerro, em Mato Grosso do Sul, valoriza 60,6% em 12 meses
COLHEITA DA SOJA
Com atraso, agricultores de MS começam a colheita
EVOLUÇÃO
MS registra o 2º maior crescimento de produção de grãos do País, aponta a Conab
MERCADO DO BOI
Importação de gado vivo do Paraguai preocupa criadores de MS
ECONOMIA
Petrobras aumenta preço da gasolina em cerca de 8% nas refinarias
ECONOMIA
Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 3,60%
OPORTUNIDADE!
Agência Rural lança programa de fidelização de anunciantes