Menu
Busca segunda, 08 de março de 2021
(67) 99874-0557
Programa de fidelização banner 03
RASTREAMENTO VEGETAL

Primeiros vegetais rastreados de Campo Grande serão expostos em feira

Produtores estão se adaptando à nova legislação com apoio do Sindicato Rural de CG

28 agosto 2019 - 13h39Por Agro Agência*

A rastreabilidade vegetal entrou em vigor e já é obrigatória para quem produz vegetais frescos. Os primeiros a se regularizarem vão apresentar seus produtos rastreados durante a Fenagrande (Feira de Negócios Agropecuários de Campo Grande), que acontece de 30 de agosto a 1 de setembro nos altos da avenida Afonso Pena.

continua depois da publicidade
Campanha Estampi Art 01 Square Banner

A regulamentação é realizada por meio da Instrução Normativa nº 2 do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que estabeleceu o sistema de rastreabilidade para auxiliar o monitoramento e o controle de resíduos de agrotóxicos na cadeia produtiva de vegetais frescos destinados à alimentação humana.

Produtores de hortaliças, os irmãos Chiquitos foram os primeiros a rastrear seus produtos. Eles contaram com apoio técnico do Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho (SRCG), que fez a ponte entre o produtor o Senar/MS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e a Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), além de orientação em todos as etapas do processo. 

Gerente de Desenvolvimento Agrário e Abastecimento, Araquem Ibrahim explica que a instrutor normativa já está em vigor, mas há um calendário dividido em grupos de produtos para a rastreabilidade de todos os produtos que vai até 2021. Quem não aderir estará sujeito a penalidades, que vão de multa até a suspensão da venda. 

Durante a Fenagrande, os irmãos Chiquitos vão apresentar a mini moranga e tomate grape rastreados, com informações sobre endereço, variedade, lote, data, entre outros, que poderão ser acessadas em um QR Code. Presidente do SRCG, Alessandro Coelho, destaca que o sistema foi criado para auxiliar o monitoramento e o controle de resíduos de defensivos na cadeia produtiva e que pode abrir caminho para novos mercados, além da segurança alimentar para consumidores.

*Fonte: Agro Agência

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM DO SUÍNO
Cotações do suíno vivo caem em janeiro, enquanto valores dos principais insumos da atividade sobe
INTERNACIONAL
Chamada pública conjunta entre Brasil e Alemanha recebe propostas de projetos de bioeconomia
ANÁLISE CEPEA
Exportações de carne suína recuam em janeiro de 2021
MERCADO DO BEZERRO
Indicador do bezerro, em Mato Grosso do Sul, valoriza 60,6% em 12 meses
COLHEITA DA SOJA
Com atraso, agricultores de MS começam a colheita
EVOLUÇÃO
MS registra o 2º maior crescimento de produção de grãos do País, aponta a Conab
MERCADO DO BOI
Importação de gado vivo do Paraguai preocupa criadores de MS
ECONOMIA
Petrobras aumenta preço da gasolina em cerca de 8% nas refinarias
ECONOMIA
Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 3,60%
OPORTUNIDADE!
Agência Rural lança programa de fidelização de anunciantes