Menu
Busca sexta, 18 de junho de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Estapi Art 01 super banner
MERCADO INTERNACIONAL

Reabertura dos EUA para carne in natura brasileira é oportunidade para pecuária de MS

Em MS, de acordo com o Ministério da Agricultura, quatro unidades estavam habilitadas a vender carne in natura para os EUA

28 fevereiro 2020 - 14h55Por Semagro*

A reabertura dos EUA para a carne bovina in natura do Brasil é uma oportunidade estratégica para a pecuária de Mato Grosso do Sul de ampliação do comércio, não só com o mercado norte-americano, mas com outros países, avalia o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

continua depois da publicidade
Campanha Estampi Art 01 Square Banner

Em Mato Grosso do Sul, de acordo com o Ministério da Agricultura, quatro unidades estavam habilitadas a vender carne in natura para os Estados Unidos: três plantas da JBS, localizadas em Nova Andradina, Naviraí e Campo Grande e uma unidade da Marfrig, em Bataguassu, mas novas habilitações podem ocorrer após visitas técnicas das autoridades norte-americanas.

“A reabilitação desse mercado para a carne brasileira é mais uma opção de saída de produto e cria um cenário favorável em termos de demanda. Temos também as implicações decorrentes do corona vírus, por isso, voltar a exportar carne in natura para os EUA tem um impacto fundamental em termos de produto. Essa reabertura dos norte-americanos mostra aos demais países a qualidade do nosso produto, do nosso sistema de sanidade animal e abre possibilidade de comércio com outros mercados”, comentou Jaime Verruck.

Exportações de carne de MS para os EUA

Em Mato Grosso do Sul, as exportações de carne bovina para o exterior intensificaram-se, principalmente a partir de 2005. De 2006 a 2014, pode ser considerado de maior expansão chegando a 7 vezes maior em temos de toneladas com chegando a 145 mil, embora em termos de dólares tenha representado o dobro (14 vezes) chegando a 677,8 milhões de dólares, em 2014. Após esse período de expansão, o produto sofreu uma queda de 2015 a 2016, retomando a expansão a partir de 2017, chegando a 183,8 mil toneladas com 690 milhões de dólares em exportações em 2019.

Em 2016, quando o mercado dos EUA foi aberto para o produto in natura pela primeira vez, especialistas estimavam que o mercado poderia render, no máximo, US$ 300 milhões por ano. O Brasil deve exportar, principalmente, cortes do dianteiro bovino para a fabricação de hambúrguer nos EUA.

Embora os Estados Unidos seja um dos principais destinos da carne bovina de Mato Grosso do Sul, sua participação, em relação as exportações totais, somente em 2017 teve uma parcela significativa chegando a 4,2%. Os valores exportados chegaram a 21 milhões de dólares em 2017, representado 4,2%, embora em 2018 representou o mesmo patamar de 2013, cerca 0,1% do total exportado para o exterior.

*Fonte: Semagro

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANÁLISE CEPEA
Com baixa oferta de animais em peso de abate, preço do suíno vivo sobe
SUA LAVOURA MERECE!
Com 517 cv, Fendt 1000 Vario esbanja tecnologia e é considerado o maior trator monobloco do mundo
BIOTECNOLOGIA
Região Sul-Fronteira de MS é a que mais se dedica ao manejo biológico da soja
70 ANOS!
Eduardo Riedel confirma apresentação nos 70 anos do SRCG
ANÁLISE CEPEA
Alta externa eleva movimentação de soja nos portos brasileiros
MADEIRA
Com grande reserva de madeira, MS tem potencial de exportação para gigantes da celulose
RECURSOS HÍDRICOS
MS mantém destaque nacional no cumprimento de metas da ANA na gestão de recursos hídricos
ENERGIA
Semagro entrega licença de operação para usina inédita movida a biomassa de eucaliptos
TECNOLOGIA
Sem tratamento antifúngico adequado, pecuarista pode perder até um terço da silagem
ECONOMIA
Valor da Produção Agropecuária de 2021 deve ser 12,4% maior que o do ano passado