Menu
Busca terça, 19 de outubro de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Agrinho 11-10 10-09
ALIMENTO E SOCIEDADE

Ministra defende a criação de mecanismos para manter mulheres e jovens no campo

Tereza Cristina participou da abertura do Seminário Alimento e Sociedade

27 novembro 2019 - 13h13Por MAPA*

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) disse nesta quarta-feira (27) que a manutenção das mulheres e dos jovens no campo é fundamental para o desenvolvimento da atividade agropecuária do país. A declaração foi feita durante discurso de abertura do Seminário Alimento e Sociedade, evento realizado na sede da representação brasileira do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA Brasil).

continua depois da publicidade
Campanha Agrinho 11-10 10-09

“Nós precisamos incluir as mulheres do campo. Elas são importantíssimas tanto quanto os jovens. Quando a mulher fica no campo, o filho fica também. Achar uma atividade atrativa para as pequenas produtoras rurais é muito importante. O artesanato, por exemplo, é importantíssimo nesse processo”, disse a ministra.

Um dos principais focos do evento é discutir como é possível atrair os jovens de todo o país que tenham interesse em contribuir para que o Brasil possa produzir alimentos saudáveis, sustentáveis e resilientes às mudanças climáticas.

Para manter a mão de obra feminina e da juventude no campo, a ministra voltou a destacar que é preciso modernizar a agricultura brasileira com a ampliação do acesso à internet e a introdução de novas tecnologias na atividade agrícola. Entre as ações empreendidas pelo Ministério da Agricultura com este objetivo, a ministra citou a criação de um grupo de trabalho em parceria com o Ministério de Ciência e Tecnologia.

“Precisamos rejuvenescer o setor. A conectividade é um assunto muito urgente para o Brasil. Precisamos levar a tecnologia para os mais de 5 milhões de produtores rurais do país. Estamos falando de um terceiro salto, mas há quem ainda não fez nem o primeiro ainda. Nós precisamos colocar essas pessoas no setor produtivo.”, comentou.

Tereza Cristina afirmou ainda que a gestão do Mapa está se dedicando a três eixos: regularização fundiária, a chamada agricultura 4.0 ou digital e a ampliação da assistência técnica de qualidade aos pequenos agricultores.

“Temos que pensar para frente e como o nosso país pode contribuir para o mundo. Temos cerca de 800 milhões de pessoas que ainda passam fome no mundo e precisamos achar o caminho de diversificar e democratizar os programas que o Brasil faz tão bem, como o programa ABC [agricultura de baixo carbono]”, afirmou.

O desafio de conter o êxodo rural também foi destacado pelo representante do IICA no Brasil, Hernan Chiriboga e pelos outros participantes da mesa de abertura.

“Nosso papel como líderes do setor rural é tornar o campo mais atrativo para a juventude. Temos uma definição de jovem: é quem tem mais projetos do que lembranças. Temos que tornar nosso campo em agricultura 4.0 com aplicativos, drones es atrativos para a juventude”, comentou Chiriboga.

*Fonte: MAPA

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAFRA DE MILHO
Com 109 sacas, por hectare, Alcinópolis tem a maior produtividade média de MS, na safrinha
ANÁLISE CEPEA
Com novo reajuste, preço do ovo branco se aproxima do recorde nominal
SAFRA DE SOJA 21/22
Incertezas com relação ao comportamento do clima esfriam expectativas de super safra em MS
MERCADO DA SOJA
Saca da soja acumula valorização de 13% em 12 meses, em MS
MANEJO APÍCOLA
A exemplo das abelhas, gestão e logística são essenciais na multiplicação dos enxames
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Cientistas combinam imagens multiespectrais com raios X para analisar sementes
GESTÃO DE RISCOS
Guia virtual orienta produtores sobre o funcionamento do seguro rural
MERCADO FINANCEIRO
Bolsa cai pelo segundo dia e perde 2,48% em agosto
CRÉDITO FUNDIÁRIO
Prazo para análise de financiamento de imóvel para agricultores familiares diminui para seis meses
ANÁLISE CEPEA
Dados oficiais do IBGE confirmam baixa oferta de animais para abate