Menu
Busca domingo, 13 de junho de 2021
(67) 99874-0557
Programa de fidelização banner 03
ECONOMIA

Minério de ferro pressiona alta dos preços da indústria após duas quedas seguidas

É o que mostra o Índice de Preços ao Produtor (IPP), divulgado hoje pelo IBGE

25 setembro 2019 - 14h02Por Agência Brasil*

O aumento dos preços do minério de ferro no exterior e a valorização do dólar pressionaram o aumento de 0,92% na inflação da indústria geral em agosto, na comparação com julho. É o que mostra o Índice de Preços ao Produtor (IPP), divulgado hoje pelo IBGE.

continua depois da publicidade
A DE ABELHA - ALFABETIZAÇÃO 02
continua depois da publicidade
Campanha Estampi Art 01 Square Banner

O índice vem de duas quedas consecutivas em junho (-1,13%) e julho (-1,20%). No acumulado no ano, os preços subiram 2,48% e, em 12 meses, 1,43%. O IPP mede a variação dos preços dos produtos na "porta das fábricas", sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e de transformação.

O indicador para o setor extrativo teve aumento de 7,67% em agosto, acumulando 30,36% no ano e 31,44% em 12 meses. Esses resultados fizeram com que as indústrias extrativas tivessem a maior influência no índice geral.

Entre as atividades, o destaque ficou com o minério de ferro. “Houve um aumento nos preços no exterior, além de uma depreciação do real ante o dólar, da ordem de 6,4%”, explicou o gerente da pesquisa, Alexandre Brandão.

A segunda maior influência foi dos alimentos, com destaques para a soja, as carnes bovinas e o leite.
Os produtos derivados de soja, como óleo e farelo, bem como o leite bovino tiveram maior demanda no período. Já para as carnes bovinas a maior influência veio da exportação, por conta da variação cambial.

O dólar também influenciou outras atividades, que passaram de queda em julho para aumento em agosto, como transportes, especialmente aviões, que passaram de -1,04% para 3,65%, e commodities, como fumo (de -1,43% para 3,29%) e madeira (de -1,17% para 0,93%).

“A variação cambial só não teve influência maior sobre produtos em que a concorrência internacional é maior, como foi o caso do papel e celulose, que tiveram queda de 1,07% devido à pressão do mercado chinês”, concluiu Alexandre.

*Fonte: Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANÁLISE CEPEA
Com baixa oferta de animais em peso de abate, preço do suíno vivo sobe
SUA LAVOURA MERECE!
Com 517 cv, Fendt 1000 Vario esbanja tecnologia e é considerado o maior trator monobloco do mundo
BIOTECNOLOGIA
Região Sul-Fronteira de MS é a que mais se dedica ao manejo biológico da soja
70 ANOS!
Eduardo Riedel confirma apresentação nos 70 anos do SRCG
ANÁLISE CEPEA
Alta externa eleva movimentação de soja nos portos brasileiros
MADEIRA
Com grande reserva de madeira, MS tem potencial de exportação para gigantes da celulose
RECURSOS HÍDRICOS
MS mantém destaque nacional no cumprimento de metas da ANA na gestão de recursos hídricos
ENERGIA
Semagro entrega licença de operação para usina inédita movida a biomassa de eucaliptos
TECNOLOGIA
Sem tratamento antifúngico adequado, pecuarista pode perder até um terço da silagem
ECONOMIA
Valor da Produção Agropecuária de 2021 deve ser 12,4% maior que o do ano passado