Menu
Busca sexta, 07 de maio de 2021
(67) 99874-0557
Programa de fidelização banner 03
FEIJÃO E PULSES

CNA reúne produtores e exportadores para impulsionar cadeias de feijão e pulses

A reunião aconteceu na sede CNA, em Brasília

23 outubro 2019 - 14h06Por CNA*

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou na terça (22) o I Encontro de Produtores e Exportadores de Feijão e Pulses para impulsionar o desenvolvimento destas cadeias produtivas com foco no comércio exterior. A reunião aconteceu na sede CNA, em Brasília.

continua depois da publicidade
A DE ABELHA - ALFABETIZAÇÃO 02
continua depois da publicidade
JA Training

Pulses são leguminosas secas como grão-de-bico, ervilha e lentilhas e as variedades de feijão. China, Índia, Emirados Árabes, Turquia e Egito são os países que mais importam esses alimentos e o Brasil tem potencial para aumentar sua produção, tendo em vista que ainda é importador de lentilhas e grão-de-bico.

O objetivo do encontro foi levantar as demandas dos produtores rurais e conhecer a experiência dos exportadores para elaboração de uma agenda positiva para o setor, conforme explicou o vice-presidente da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Ricardo Ariolli.

Participaram do evento produtores de feijão e pulses de Minas Gerais, Mato Grosso, São Paulo, Bahia e Goiás, além de representantes de sindicatos de produtores rurais.

O superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, apresentou a atuação da Confederação por meio das Comissões Nacionais e das câmaras setoriais do Ministério da Agricultura e outros fóruns para defender os interesses dos produtores rurais e promover o desenvolvimento da agropecuária brasileira.

“Criamos a oportunidade para melhorar a situação econômica e alavancar a produção de feijão e pulses. A intenção é que possamos repetir esses encontros com agendas específicas para podemos elevar a competitividade desses produtores rurais”, pontuou.

O panorama do mercado internacional e as potencialidades de exportação destes produtos foram apresentados pela superintendente de Relações Internacionais da CNA, Ligia Dutra.

“Além do feijão, o Brasil tem potencial produtivo de outras variedades de pulses que são bastante apreciadas em outros países, mas para conquistar outros mercados é importante identificar as oportunidades e produzir em maior escala para venda”, destacou Lígia.

Para o produtor de feijão em Unaí (MG), Carlos Eduardo Vilas Boas, a iniciativa da CNA em reunir representantes do setor produtivo, da comercialização e pesquisadores foi bastante esclarecedora, tendo em vista que ele tem a intenção de plantar novas variedades de feijão já em fevereiro de 2020 com foco no mercado internacional. 

“Em diversos momentos, o produtor se depara com situações em que tem de comercializar sua produção abaixo do preço de custo. Então, o mercado externo serve como um balizador para diminuir a oscilação do mercado interno. Além disso, temos a possibilidade de produzir variedades de feijão diferentes daquelas consumidas pelos brasileiros”, observou.

Para Iuri Bruns, sócio da Samba Internacional, empresa exportadora de feijão e pulses, a demanda por esses alimentos brasileiros sofre oscilação. “É importante mostrar no mercado externo que existe uma produção consistente desses produtos para atender a demanda internacional, principalmente de países que são bons pagadores. Aliado a isso, é importante elaborar estratégia de trabalho e dominar tecnologias de produção”, declarou.

Pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) apresentaram aos participantes do encontro as novas tecnologias de cultivares para produção de feijão e pulses.

Durante o evento, a CNA anunciou que está elaborando uma tabela de classificação de feijão e pulses em parceria com a Embrapa. O material deve ser apresentado ao Ministério da Agricultura ainda neste ano.

*Fonte: CNA

Deixe seu Comentário

Leia Também

RECURSOS HÍDRICOS
MS mantém destaque nacional no cumprimento de metas da ANA na gestão de recursos hídricos
ENERGIA
Semagro entrega licença de operação para usina inédita movida a biomassa de eucaliptos
TECNOLOGIA
Sem tratamento antifúngico adequado, pecuarista pode perder até um terço da silagem
ECONOMIA
Valor da Produção Agropecuária de 2021 deve ser 12,4% maior que o do ano passado
INOVAÇÃO
Empresário cria cerveja à base de soja
BOLETIM DO SUÍNO
Cotações do suíno vivo caem em janeiro, enquanto valores dos principais insumos da atividade sobe
INTERNACIONAL
Chamada pública conjunta entre Brasil e Alemanha recebe propostas de projetos de bioeconomia
ANÁLISE CEPEA
Exportações de carne suína recuam em janeiro de 2021
MERCADO DO BEZERRO
Indicador do bezerro, em Mato Grosso do Sul, valoriza 60,6% em 12 meses
COLHEITA DA SOJA
Com atraso, agricultores de MS começam a colheita