Menu
Busca domingo, 26 de setembro de 2021
(67) 99874-0557
SENAR-MS Campanha Prevenção Incêndios 2021
MERCADO FINANCEIRO

Bolsa cai pelo segundo dia e perde 2,48% em agosto

Dólar fecha a R$ 5,17, no menor valor em quase um mês

01 setembro 2021 - 06h43Por Agência Brasil-EBC

Em uma sessão marcada por tensões internas e externas, a bolsa de valores caiu pelo segundo dia seguido e encerrou o mês de agosto com perda acumulada de 2,48%. O dólar iniciou o dia em forte queda, mas reagiu durante a tarde e fechou em leve baixa.

continua depois da publicidade
ANUNCIO IMPACT 728X60 INSERÇÃO 03 OK
continua depois da publicidade
Campanha Fendt última semana de Setembro Square

O índice Ibovespa, da B3, encerrou esta terça-feira (31) aos 118.781 pontos, com recuo de 0,8%. Com o desempenho de hoje, o indicador acumula o segundo mês seguido de perdas, após ter caído 3,94% em julho. No ano, o índice registra leve perda de 0,2%.

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou o dia vendido a R$ 5,172, com queda de R$ 0,017 (-0,34%). A cotação chegou a cair para R$ 5,12 durante a manhã, mas diminuiu o ritmo de baixa com a redução do otimismo no mercado interno.

O dólar está no menor valor desde 2 de agosto, quando tinha fechado a R$ 5,165. A divisa fechou o mês com recuo de 0,73%, depois de chegar a subir 4,13% até o dia 19, quando superou R$ 5,40. Em 2021, o dólar acumula baixa de 0,32%.

No mercado externo, a divulgação de indicadores que mostram desaceleração da economia chinesa influenciou países produtores de commodities (bens primários com cotação internacional), como o Brasil. Com a expectativa de que a China crescerá menos que o previsto, caíram as cotações do minério de ferro e de petróleo, pressionando as ações da mineradora Vale e da Petrobras, que têm o maior peso no índice Ibovespa.

Em relação ao dólar, a moeda continua caindo após declarações recentes do presidente do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano), Jerome Powell, de que o órgão não pretende acelerar a retirada dos estímulos monetários concedidos durante a pandemia de covid-19. Juros baixos em economias avançadas beneficiam países emergentes como o Brasil.

No mercado interno, a divulgação de que a taxa de desemprego recuou para 14,1% no trimestre terminado em junho animou os investidores. No entanto, as tensões políticas e o receio de que o Congresso aprove medidas que liberem espaços para mais gastos públicos, como o parcelamento de precatórios, ou reduzam receitas, como a reforma do Imposto de Renda, continua a interferir nas negociações.

*Conteúdo: Agência Brasil/EBC, com informações da Reuters

Deixe seu Comentário

Leia Também

MERCADO DA SOJA
Saca da soja acumula valorização de 13% em 12 meses, em MS
MANEJO APÍCOLA
A exemplo das abelhas, gestão e logística são essenciais na multiplicação dos enxames
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Cientistas combinam imagens multiespectrais com raios X para analisar sementes
GESTÃO DE RISCOS
Guia virtual orienta produtores sobre o funcionamento do seguro rural
CRÉDITO FUNDIÁRIO
Prazo para análise de financiamento de imóvel para agricultores familiares diminui para seis meses
ANÁLISE CEPEA
Dados oficiais do IBGE confirmam baixa oferta de animais para abate
ECONOMIA
MS tem crescimento populacional acima da média nacional, com agronegócio impulsionando interior
ARMAZENAMENTO
Conab tem 150 imóveis qualificados no PPI; Hortomercados do RJ estão incluídos
PERSPECTIVAS
Conab estima produção total de 289,6 milhões de toneladas de grãos para safra 2021/22
CADASTRO AMBIENTAL RURAL
SFB inicia implantação da Análise Dinamizada do CAR no Distrito Federal