Menu
Busca domingo, 13 de junho de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Estapi Art 01 super banner
AGRONÉGOCIO

BASF quer ouvir o que o agricultor e a sociedade têm a dizer

A empresa reuniu jornalistas para apresentar a estratégia de negócios da empresa nos próximos 10 anos

06 novembro 2019 - 17h01Por Priscilla Peres*

Encurtar a distância do cliente e ouvi-lo é a nova estratégia de mercado da Basf, multinacional alemã com atuações no Brasil. A empresa quer receber feedbacks do consumidor final de seus produtos e, para isso, tem desenvolvido novas ferramentas. A sociedade e sua demanda por alimentos de qualidade e procedência, também está sendo vista pela BASF. 

continua depois da publicidade
A DE ABELHA - ALFABETIZAÇÃO 02
continua depois da publicidade
A DE ABELHA - ALFABETIZAÇÃO

O foco integra quatro alavancas estratégicas detalhadas pelo presidente global da Divisão de Soluções para a Agricultura Basf, Vicent Gros, que esteve na unidade de Trindade, Goiás, para coletiva à imprensa nesta semana. 
Além da experiência customizada, a empresa aposta em inovação, sustentabilidade e ferramentas digitais como diferenciais para crescer mais e rápido. Mais do que oferecer soluções, o objetivo é criar uma relação de proximidade com o cliente. 

"Queremos entender a jornada produtiva, os gargalos e desenvolver ferramentas que estejam presentes no momento da tomada de decisões do produtor. Queremos criar ciclos de feedbacks, pois só assim conseguiremos cocriar soluções eficientes", afirma Vicent Gros. 

Investir em pessoas e suas experiências e expectativas para o futuro está nas metas da empresa, que fala em contribuir para o equilíbrio entre aceitação social, agricultura e sustentabilidade. "Essa é a nossa inspiração para o futuro. Queremos inspirar pessoas e ajudar a produzir mais com menos", destaca o presidente global.

Com essa fórmula a Basf espera crescer até 1% mais rápido que seus concorrentes, dobrar o faturamento e aumentar a pipeline em 50%. Mas a empresa entende que a agricultura, bem como todo o agronegócio, vive a necessidade de se comunicar melhor. 

"Não há mais espaço para nos comunicar de maneira tão técnica, a sociedade não entende o que dizemos. Precisamos mudar isso, nos aproximando e comunicando em uma linguagem acessível e compreensível, mas sabemos que é difícil e não temos uma solução para isso a curto prazo", disse Eduardo Leduc, vice-presidente Sênior da Divisão de Soluções para Agricultura Basf para a América Latina.

Leduc acredita que o desafio não é só no Brasil e ocorre da mesma forma na Europa e nos Estados Unidos. “A sociedade quer uma visão romântica de agricultura que não é adequada ao mundo atual da tecnologia e nem a preservação ambiental, que virá com o uso de tecnologias cada vez mais modernas, para se produzir mais com menos e isso só ocorre com inovação e tecnologia. A forma de preservar o meio ambiente é através de agricultura de alta tecnologia, para o pequeno, o médio ou o grande agricultor”.

Texto: Priscilla Peres
* A reporter viajou para Trindade (GO) a convite da BASF

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANÁLISE CEPEA
Com baixa oferta de animais em peso de abate, preço do suíno vivo sobe
SUA LAVOURA MERECE!
Com 517 cv, Fendt 1000 Vario esbanja tecnologia e é considerado o maior trator monobloco do mundo
BIOTECNOLOGIA
Região Sul-Fronteira de MS é a que mais se dedica ao manejo biológico da soja
70 ANOS!
Eduardo Riedel confirma apresentação nos 70 anos do SRCG
ANÁLISE CEPEA
Alta externa eleva movimentação de soja nos portos brasileiros
MADEIRA
Com grande reserva de madeira, MS tem potencial de exportação para gigantes da celulose
RECURSOS HÍDRICOS
MS mantém destaque nacional no cumprimento de metas da ANA na gestão de recursos hídricos
ENERGIA
Semagro entrega licença de operação para usina inédita movida a biomassa de eucaliptos
TECNOLOGIA
Sem tratamento antifúngico adequado, pecuarista pode perder até um terço da silagem
ECONOMIA
Valor da Produção Agropecuária de 2021 deve ser 12,4% maior que o do ano passado