Menu
Busca quinta, 04 de março de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Estapi Art 01 super banner
ECONOMIA

Balança comercial registra superávit parcial de US$ 30 bilhões no ano

Em comparação com o mesmo período de 2018, houve queda de 16%

28 agosto 2019 - 07h05Por Agência Brasil*

A balança comercial brasileira registrou saldo positivo de US$ 30,963 bilhões desde o início do ano até domingo (25), informou nesta segunda-feira (26) balanço divulgado pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia. O valor representa uma queda de 16,4% com relação ao mesmo período de 2018.

continua depois da publicidade
Programa de fidelização banner 02

No ano, as exportações totalizam US$ 144,767 bilhões e as importações, US$ 113,804 bilhões. No mês de agosto, as exportações somam US$ 14,767 bilhões e as importações, US$ 12,279 bilhões, com saldo positivo de US$ 2,488 bilhões. 

Segundo o ministério, a balança também registrou um superávit de US$ 1,078 bilhão na quarta semana de agosto de 2019. O saldo é resultado de exportações no valor de US$ 4,590 bilhões e importações de US$ 3,512 bilhões. Na comparação entre as médias de terceira e quarta semana de agosto houve um crescimento de 8,2%. 

A média diária das exportações da quarta semana chegou a US$ 917,9 milhões, contra de US$ 848,1 milhões da terceira semana. O resultado se deveu ao aumento de 21,2% nas exportações de produtos básicos, que subiram de US$ 453,8 milhões para US$ 549,9 milhões. Os destaques foram minério de ferro, petróleo em bruto, soja em grãos, milho em grãos e café em grãos.

Contudo, no mesmo período de comparação, as vendas de produtos semimanufaturados apresentaram queda de 13,9%, de US$ 110,2 milhões para US$ 94,8 milhões. O resultado foi puxado por açúcar de cana em bruto, celulose, semimanufaturados de ferro/aço, óleo de soja em bruto e alumínio em bruto. A balança também apresentou redução nas vendas de manufaturados de 3,8%, de US$ 284,1 milhões para US$ 273,2 milhões. 

Por outro lado, a queda nas importações foi resultante da diminuição de gastos, especialmente com equipamentos mecânicos, bebidas e álcool, farmacêuticos, algodão e equipamentos eletroeletrônicos. A diminuição no volume de importações foi 3,9% na comparação entre a média da quarta semana, de US$ 702,3 milhões, sobre a média até a terceira semana, de US$ 730,6 milhões. 

Apesar do resultado positivo, na comparação entre as quatro semanas de agosto de 2019 e o mesmo e do ano anterior, houve uma redução de 7,3% nas exportações. Em agosto de 2019, a balança comercial registrou US$ 868,6 milhões, contra US$ 937,1 milhões em 2018. 

"A redução refletiu a baixa de 25,6% nas vendas de produtos manufaturados, de US$ 377,6 milhões para US$ 280,9 milhões. Já as vendas de produtos semimanufaturados subiram 14,9%, de US$ 91,9 milhões para US$ 105,7 milhões. As exportações de produtos básicos também tiveram alta, de US$ 459,9 milhões para US$ 482,1 milhões (+4,8%)", disse o ministério.

O ministério disse ainda que relativamente a julho de 2019, houve queda de 0,4% nas exportações, devido à diminuição de 2,2% nas vendas de produtos manufaturados, de US$ 287,1 milhões para US$ 280,9 milhões. Já as vendas de semimanufaturados subiram 1,4%, de US$ 104,2 milhões para US$ 105,7 milhões, e as de básicos aumentaram 0,3%, de US$ 480,6 milhões para US$ 482,1 milhões.

Já nas importações, a média diária até a quarta semana de agosto de 2019 foi de US$ 722,3 milhões, 11,5% abaixo da média de agosto do ano passado, de US$ 816,4 milhões. Nesse caso, as principais reduções foram de combustíveis e lubrificantes (-35,4%), cobre e suas obras (-35,0%), veículos automóveis e partes (-23,8%), adubos e fertilizantes (-4,0%) e plásticos e obras (-3,7%).

"Em relação a julho de 2019, houve retração de 6,5% nas importações, provocada pelas quedas em aeronaves e peças (-50,5%), combustíveis e lubrificantes (-32,7%), cobre e suas obras (-26,0%), farmacêuticos (-24,1%) e plásticos e obras (-8,4%)", disse a pasta.

*Fonte: Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM DO SUÍNO
Cotações do suíno vivo caem em janeiro, enquanto valores dos principais insumos da atividade sobe
INTERNACIONAL
Chamada pública conjunta entre Brasil e Alemanha recebe propostas de projetos de bioeconomia
ANÁLISE CEPEA
Exportações de carne suína recuam em janeiro de 2021
MERCADO DO BEZERRO
Indicador do bezerro, em Mato Grosso do Sul, valoriza 60,6% em 12 meses
COLHEITA DA SOJA
Com atraso, agricultores de MS começam a colheita
EVOLUÇÃO
MS registra o 2º maior crescimento de produção de grãos do País, aponta a Conab
MERCADO DO BOI
Importação de gado vivo do Paraguai preocupa criadores de MS
ECONOMIA
Petrobras aumenta preço da gasolina em cerca de 8% nas refinarias
ECONOMIA
Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 3,60%
OPORTUNIDADE!
Agência Rural lança programa de fidelização de anunciantes