Menu
Busca segunda, 08 de março de 2021
(67) 99874-0557
Campanha Estapi Art 01 super banner
AÇÚCAR

Produção de açúcar deve crescer 72% em Mato Grosso do Sul

A redução nos preços comerciais do etanol fez com que unidades destinassem volume maior à confecção do açúcar, segundo a Conab

23 agosto 2020 - 09h10Por Agência Rural

Apesar de as usinas do estado direcionarem a produção de cana-de-açúcar para a fabricação de etanol, o percentual destinado à geração de açúcar cresceu bastante em relação à temporada passada. É o que aponta o levantamento de agosto, sobre a produção brasileira, elaborado pela Companhia Nacional de Abastecimento.

continua depois da publicidade
Programa de fidelização banner 02

Os dados apurados pelos técnicos da Conab, revelam que Mato Grosso do Sul deve produzir o equivalente a 1,2 milhão de toneladas de açúcar na safra 2020/2021. Aumento expressivo de 72% em relação ao mesmo período do ciclo anterior. O motivo? Segundo analistas, uma tentativa das usinas em reduzir os impactos da crise que atingiu o mercado de biocombustíveis - principalmente no que se refere à queda nos preços e no volume comercializado.

A estratégia das indústrias estaria na aposta em aumentar as vendas da commodity no mercado internacional. A prova mais fiel disso está no desempenho positivo do estado nas negociações externas. Entre janeiro e julho deste ano, Mato Grosso do Sul exportou 295,36 mil toneladas de açúcar. Crescimento de 200% na comparação com igual período de 2019. O faturamento saltou de US$ 29,11 milhões para US$ 76,64 milhões em 2020.

O resto do Brasil segue na mesma tendência. Segundo a Conab, as exportações nacionais de açúcar aumentaram 91,5% em julho, em relação ao mesmo período do ano passado, atingindo 3,4 milhões de toneladas - números que se aproximaram do nível recorde de embarques mensais. Conforme dados oficiais divulgados,  até o momento, o maior volume já embarcado pelo Brasil foi de 3,5 milhões de toneladas.

Mas, além da baixa nas vendas de biocombustíveis no mercado doméstico, existem outros fatores estimulando a produção e as negociações do açúcar brasileiro. A Tailândia,  segundo maior exportador mundial de açúcar, enfrenta uma difícil situação, com quedas nas estimativas de produção de cana-de-açúcar para a safra 2020/2021 - reflexo do clima seco, que castiga as regiões produtoras. De acordo com técnicos da Conab, rumores de demanda aquecida na Ásia no período pós- -pandemia estão sustentando os preços da commodity nas bolsas internacionais.

MAIORES PRODUTORES

Na safra 2020/2021, a Região Centro-Sul deverá ser responsável por 90,6% do total de açúcar produzido e a Norte/Nordeste pelo restante, 9,4%. São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Paraná e Alagoas permanecem como os maiores produtores nacionais de açúcar. Só o estado de São Paulo deverá produzir quase 23,8 milhões de toneladas, com um aumento de 28,9%.

ESTIMATIVA NACIONAL

A estimativa da Conab, neste segundo levantamento, aponta para uma produção de 39,3 milhões de toneladas de açúcar, contra 29,8 milhões, representando incremento de 32% em relação à safra anterior.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM DO SUÍNO
Cotações do suíno vivo caem em janeiro, enquanto valores dos principais insumos da atividade sobe
INTERNACIONAL
Chamada pública conjunta entre Brasil e Alemanha recebe propostas de projetos de bioeconomia
ANÁLISE CEPEA
Exportações de carne suína recuam em janeiro de 2021
MERCADO DO BEZERRO
Indicador do bezerro, em Mato Grosso do Sul, valoriza 60,6% em 12 meses
COLHEITA DA SOJA
Com atraso, agricultores de MS começam a colheita
EVOLUÇÃO
MS registra o 2º maior crescimento de produção de grãos do País, aponta a Conab
MERCADO DO BOI
Importação de gado vivo do Paraguai preocupa criadores de MS
ECONOMIA
Petrobras aumenta preço da gasolina em cerca de 8% nas refinarias
ECONOMIA
Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 3,60%
OPORTUNIDADE!
Agência Rural lança programa de fidelização de anunciantes